Telma era uma adolescente quando ouviu o chamado da vida: transformar a vida das pessoas. Entrou na faculdade de Psicologia e, para ter uma visão mais crítica e mais lúdica, emendou na Psicanálise e na Pedagogia. Suficiente? Não, ela precisava atingir o coração e a mente das pessoas e por isso foi atrás de um MBA de Planejamento Estratégico. Incansável, arranjou ainda fôlego para fazer Teologia.

Com a Amanda foi diferente: 5 faculdades no currículo – 4 incompletas e uma em andamento – não foram suficientes para decidir por um caminho. O pai, que se encontrou em um workshop de mindfulness, pensou que seria útil para sua princesa um curso alternativo e inspiracional com o título “Como encontrar um trabalho que você ame”. Foi o presente de Natal da filha.

Foi neste ambiente que Telma, 52, e Amanda, 25 se conheceram, em uma noite de trovões e raios. Enquanto uma buscava insights para a sonhada oficina de patchwork, a outra continuava indecisa. Sua única certeza, em 2 décadas de vida, é que se não levar seu cachorro para passear todas as manhãs, ele destrói a casa. Esse é o chamado da sua vida.

Esse post foi originalmente publicado no blog Mais Um Café?