Duda, em Cerro Campanario, em San Carlos de Bariloche (arquivo pessoal)

Duda tinha um sonho bem guardado no fundo da alma. O motivo para suprimir aquele desejo do coração não é nada incomum: assumir as rédeas da vida. “Depois que terminei a universidade, eu tive um momento largo de turbulências consecutivas em relação a trabalho, amor e família. Em cada “chacoalhada” que recebia em minha vida, eu respirava fundo, ordenava tudo e seguia adiante. Quando tudo parecia estar estável, vinha outra sacudida”. Quando a exaustão chegou ao limite, ela resolveu reescrever sua história e transformar o que parecia utopia em realidade.  Continuar lendo “Quando se entrega as rédeas da vida”