Busca

Doce Viagem

O melhor da vida na nuvem

Tag

gastronomia

Não é feitiçaria; é culinária ou gastronomia

Você sabia que aquelas bolinhas disformes e cabeludas, conhecidas como inhame, foram trazidas da África pelos portugueses, mas são cultivadas na Índia desde 5 mil anos antes de Cristo?

Nós não aprendemos isso na escola, nem somos expostos às propriedades e aos benefícios da variedade de legumes e verduras da nossa terra. Sabedoria esta que os nativos sempre tiveram e passaram de geração em geração.

Estou cada vez mais convencida de que a facilidade de abrir uma lata ou pacote de alumínio, ou ainda de ter comida pronta com poucos cliques no aplicativo, inibe a criatividade. Jamais imaginaria que seria possível transformar aquela bolinha suja de terra em um creme a ser usado em massas, risotos ou pães. Ou que o inhame seria a base até… de um brigadeiro.

Continuar lendo “Não é feitiçaria; é culinária ou gastronomia”

A escrita e a culinária de cada dia

Entre a escrivaninha e o fogão há mais semelhanças do que se pode imaginar. O processo para criar um texto e fazer o almoço segue, na minha opinião, a mesma fórmula: é uma grande jornada entre o mundo interior e exterior, temperada de aventuras e emoções.

Há de se começar sempre com um plano. Um bom texto surge de um roteiro bem definido – com objetivos e elementos para prender a atenção volúvel do leitor e lhe arrancar suspiros, likes e resenhas positivas. O sucesso do almoço também depende de um cardápio estruturado, que dará o tom de todo o preparo – da organização aos ingredientes que não podem faltar para agradar aos mais diferentes paladares e estômagos.

Continuar lendo “A escrita e a culinária de cada dia”

O Copo da Felicidade

Fran: criatividade, dedicação e uma boa dose de amor para manter o copo sempre cheio (Arquivo Pessoal)

Para alguns, o Copo da Felicidade leva creme de leite ninho, morango, mousse de chocolate e brownie; para outros, creme de Nutella, doce de leite e pão de mel. A Fran tem essas receitas todas – e outras também. Continuar lendo “O Copo da Felicidade”

Emprego, Gastronomia, Arte e…Água na Boca!

FullSizeRender

Caco era um desses anônimos paulistanos escondidos atrás de roupas pretas e capacete. Como motoboy, ele rodava o equivalente a dois mil campos de futebol por dia. Talvez até você já tenha cruzado com ele em alguma esquina. Só não sabia seu nome e subestimava a travessia que estava fazendo.  Leia Mais

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: