Busca

Doce Viagem

O melhor da vida na nuvem

A verdadeira história de Astolfo

Fonte: Fine Art America/Pinterest

Há meses Astolfo vê o sol nascer quadrado. Os vizinhos estranharam o sumiço daquela figura vistosa e simpática, que andava de lá para cá, fazendo amigos com facilidade. Não passava pela cabeça de ninguém o problema que ele tinha. Astolfo era cleptomaníaco.

Continuar lendo “A verdadeira história de Astolfo”

Shavasana

Com o corpo pesado do exercício, rendo-me à posição final da prática de yoga, a mais simples e a difícil, pois exige total entrega e o reconhecimento da vulnerabilidade em mim. Respiro uma, duas, três vezes. O chão duro, coberto por um leve tapete, me abriga como um abraço saudoso.

Continuar lendo “Shavasana”

Entre notas e letras

Emília não gostava de música, encontrava-se nos livros. Não sonhava com o príncipe encantado, mas em ser livre. Por isso, tinha sempre um verbo afiado na boca. A família e as amigas não se conformavam e a obrigavam, vez ou outra, a sair de casa. Foi em um baile, o evento mais esperado pela pequena cidade, que ela conheceu um rapaz de cabelo engraçado e óculos redondo. Sua voz tinha um ritmo diferente e suas mãos bailavam com o vento, como se ditassem as notas ao seresteiro.

Continuar lendo “Entre notas e letras”

Um senhor de 90 anos

Na foto, em sentido horário, Izabel, Josefina, Leolinda e Bertha, as nossas sufragistas.

Minha avó nasceu pouco mais de 40 dias depois dele, cujos descendentes cismam em reduzir a História às páginas amareladas dos livros. E é neles que encontramos suas raízes, em uma monarquia que se recusava a reformular o sistema eleitoral. Em 1887, a dentista Isabel de Souza Mattos evocou uma lei e mostrou seu título científico para ter um registro, mas de nada adiantou.

Continuar lendo “Um senhor de 90 anos”

24 horas depois

Ghostbusters(Os Caça-Fantasmas) / Dan Aykroyd‎

Oito horas depois daquela barata cruzar o caminho de Laura, ela ligou para a empresa de dedetização, cujo anúncio havia sido fixado três semanas antes no elevador do prédio.

Uns disseram que era exagero dela; outros, mais inclinados a teorias da conspiração, que havia sido uma jogada de marketing para que ela sentisse a necessidade e adquirisse o serviço.

Continuar lendo “24 horas depois”

Noite do terror

Scream (Pânico) / Drew Barrymore

23 horas no relógio. Laura só queria chegar em casa, tirar uma cerveja da geladeira e comer uma fritura que anestesiasse o estresse de um dia que nunca amanheceu – afinal, foi acordada pelo chefe asiático às 3h30 para gerenciar uma crise sem fim.

Quando enfim voltou para casa, percebeu que a porta estava destrancada. Gelou. Deixou a bolsa no hall e entrou devagar, com os sapatos de salto alto nas mãos. À medida que avançava, acendia as luzes dos cômodos. Sala? Livre! Cozinha? Livre? Banheiro? Livre! Quarto? Liv…

Continuar lendo “Noite do terror”

Reflexões sob o poder de uma agulha

Conheça o trabalho incrível da Lucia Heffernan

O acupunturista me perguntou se eu penso demais. Oras, não é isso que a gente faz? Ok, eu também penso enquanto durmo: nos problemas ou no que considero problemas. Às vezes, questiono o sonho, como se estivesse diante de um roteiro nada plausível. “Ei, mas o que essa pessoa está fazendo aí?”. Para quem lanço essa pergunta? Seria para mim mesmo? Seria para os algoritmos controladores de sonhos? Lembrei-me de um médico, que não era da cabeça, ou era?, que me perguntou se eu era muito estressada. Oi? “Alguém já respondeu que não, doutor?” Fui mais fundo, mais fundo…

Continuar lendo “Reflexões sob o poder de uma agulha”

Reflexões de um passado presente

Wikipedia – Edição de Meditações de 1811, em Inglês.

Entre os livros de não-ficção mais vendidos nos últimos meses de 2021, segundo o PublishNews, está Meditações, do imperador romano Marco Aurélio, uma das obras mais conhecidas da filosofia estoica. Reza a lenda que seu autor, famoso por ter humanizado o poder, apesar das guerras sangrentas que liderou, o concebeu como um conjunto de reflexões a serem entregues ao filho Cômodo após a sua morte.

Continuar lendo “Reflexões de um passado presente”

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: