Busca

Doce Viagem

O melhor da vida na nuvem

O Sal da Terra

Aline, em um raro clique na sua “miniatura de fábrica” (Arquivo Pessoal)

Como quase todo mundo, Aline sente dificuldade de se definir. Quando reflete sobre a sua jornada, ela só enxerga um processo lento, mas contínuo e muito sutil. Tudo lhe parece tão familiar, tão íntimo e intrínseco, que nem repara na beleza da sua narrativa. “Venho de uma família de imigrantes, de pessoas muito simples, mas com uma atitude muito positiva e otimista perante a vida, dispostas a estarem juntas, trabalharem e serem pessoas melhores. Minhas avós (tanto materna quanto paterna) eram apaixonadas por plantas e sempre tinham alguma pomada para picada de insetos (se bem que o perito mesmo era o meu avô Humberto) ou chás para isso e para aquilo. A minha mãe estava sempre experimentando flores do sítio para preparar perfume. Seu aroma favorito era da flor de coqueiro. Hoje vejo que várias pequenas coisas foram acontecendo ao longo da minha vida e que todas, mesmo as mais simples, me levaram para o caminho que trilho hoje.” Continuar lendo “O Sal da Terra”

O Copo da Felicidade

Fran: criatividade, dedicação e uma boa dose de amor para manter o copo sempre cheio (Arquivo Pessoal)

Para alguns, o Copo da Felicidade leva creme de leite ninho, morango, mousse de chocolate e brownie; para outros, creme de Nutella, doce de leite e pão de mel. A Fran tem essas receitas todas – e outras também. Continuar lendo “O Copo da Felicidade”

Há quem diga…

Foto: Pixabay

Há quem diga / que no confinamento / não há poesia.

Continuar lendo “Há quem diga…”

[Músicas e Histórias] “Eu deixei a pintura compor a canção para mim”

1200px-Van_Gogh_-_Starry_Night_-_Google_Art_Project
Foto da Wikipedia – Tela “A Noite Estrela”, de Junho de 1889, pertence ao MoMa

Assim explicou Don McLean a criação de Vincent, tributo que prestou na década de 1970 a Van Gogh[1]. A ideia surgiu, segundo o compositor, após ler uma biografia do pintor holandês. Em entrevista ao inglês The Telegraph, ele confessou que ficou tão tocado pela história que decidiu desmistificar o mito de que Van Gogh era louco[2]. Continuar lendo “[Músicas e Histórias] “Eu deixei a pintura compor a canção para mim””

Quando foi?

As folhas e flores do limoeiro do quintal

Quando foi que deixamos de nos maravilhar com a vida?

Quando foi que deixamos de enxergar o sol que pinta de dourado tudo que toca?

Quando foi que deixamos de notar as nuances de azul em um céu de outono?

Quando foi que deixamos de sentir o perfume que a terra exala ao ser tocada pela água gelada e cristalina?

Quando foi que deixamos de perceber como as folhas e flores reagem a convidados inesperados que em sua superfície pousam?

Quando foi que deixamos de sentir o beijo do vento em nossa face e o cuidado da terra sob os nossos pés?

Quando foi que deixamos de ouvir o canto da natureza e a melodia dentro de nós?

Quando foi que deixamos de olhar para o outro, sentado bem ao nosso lado?

Quando foi que deixamos de apreciar o calor do toque, o som da palavra, o brilho no olhar?

Quando foi que deixamos de apreciar o tempo que nos foi dado?

Quando foi que deixamos de nos sentir parte desse Todo?

Quando foi que deixamos de viver em sintonia?

Quando foi de que deixamos de brincar, de respirar, de conviver?

Quando foi?

[Músicas e Histórias] A Melodia do Silêncio

meditation-1794292_640
Foto: Pixabay/truthseeker08

Por Thich Nhat Hanh*

“Na música, existem três momentos de “descanso”, de não som. Se tais espaços não existissem, tudo seria um caos. A música, sem momentos de silêncio, seria caótica e opressora. Quando nos sentamos em silêncio com um amigo, sem dizer nada, trata-se e um momento tão precioso quanto as notas de silêncio necessárias à música. O silêncio compartilhado entre amigos pode ser melhor que a conversa. Continuar lendo “[Músicas e Histórias] A Melodia do Silêncio”

Por que resistir

edu
Edu e Pedro (Arquivo Pessoal)

Edu jura que não é otimista, embora esteja sempre com um sorriso largo. Esse advogado e músico amador descreve-se menor do que é: como uma pessoa de origem e hábitos simples. Nem menciona que possui coragem de sobra para compartilhar suas vulnerabilidades como se dedilhasse uma canção qualquer em seu violão. Uma das histórias mais marcantes de sua vida começou em uma escola de cabeleireiros na zona norte de São Paulo, em 2002. Ele era o administrador do estabelecimento e ela, a aluna, oito anos mais jovem, em busca de recolocação profissional e independência financeira. “Ambos vínhamos de rompimentos bastante difíceis das relações anteriores”. Continuar lendo “Por que resistir”

E você? Escutou o chamado?

holiday-123849_640
Foto do Pixabay/Makunin

Telma escutou. E morra de inveja: aos 15 anos. Ali, ainda adolescente, ela já sabia qual seria sua missão: ajudar a transformar a vida das pessoas. Com esse objetivo em mente, entrou na faculdade de Psicologia. Quando terminou, achou que ainda lhe faltava algo, uma análise mais critica, e então mergulhou na Psicanálise. Só que… Continuar lendo “E você? Escutou o chamado?”

A Ti, Tempo 

palm-trees-4069748_640
Foto: Dimitris Vetsikas/Pixabay

Se posso fazer-te um pedido, 
peço que me respondas:
Como fazer as pazes contigo
e encontrar um abrigo 
para tantas prisões que levo comigo? Continuar lendo "A Ti, Tempo " 

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: