Nossa busca por equilíbrio começa ainda na infância e nenhum momento é mais simbólico do que quando aprendemos a pilotar, sem rodinhas, uma bicicleta. Adriana lembra-se bem da monareta vermelha que conduziu aos sete anos. À medida que aquela menina foi crescendo, os compromissos e obrigações se multiplicaram e manter o equilíbrio deixou de ser uma divertida brincadeira de criança. O ponto de inflexão da sua busca foi quando um relacionamento de 15 anos com o pai do seu filho chegou ao fim. “Depois da dor, fui pesquisar como as mulheres fazem para conseguir dar conta da família, da carreira e dos sonhos”. A experiência tornou-se um caminho, que compartilha desde 2012 com outras mulheres.  Continuar lendo “Os segredos das mulheres equilibristas”