orgulhopreconceito_1940jap

A primeira tradução de Orgulho e Preconceito no Brasil foi feita por Lúcio Cardoso para a Coleção Fogos Cruzados, da Editora José Olympio, em 1940

Em 1809, o vilarejo de Chawton recebeu sua mais ilustre moradora, a inglesa Jane Austen. Ela adotou a biblioteca da casa como seu cômodo preferido por ser uma fonte inesgotável de conhecimento e inspiração. Ali também Jane revisou seus primeiros livros – A Abadia de Northanger, Razão e Sensibilidade, e Orgulho e Preconceito – e escreveu Mansfield Park, Emma e Persuasão. Seu prazer pela leitura e escrita mantém-se vivo não só pelos seus clássicos, mas também pelo trabalho promovido pela Jane Austen Literacy Foundation, que conta hoje com o apoio de uma brasileira.  Leia Mais