Busca

Doce Viagem

O melhor da vida na nuvem

Categoria

Coleção Doce Viagem

A realidade à luz da filosofia

191113-profluciahelena-108
Lúcia Helena Galvão, professora, poetisa e filósofa (Arquivo Pessoal)

Nem nesse período de isolamento social, a Professora Lúcia deixa de produzir. Ela não está cruzando o Brasil, de ponta a ponta, como costuma fazer, mas continua gerando conteúdo, promovendo palestras e participando de lives que desembaraçam Platão, Aristóteles, Cícero, Kant e outros tantos filósofos capazes de nos ajudar a compreender esse momento. “O grande desafio será, com certeza, reconstruir a vida quando a avalanche passar. Muita gente desempregada e faminta, e poucas soluções a curto prazo. É impossível pensar que as autoridades resolverão tudo, que “não é problema meu”. A autoridade que resolve, aí, é a humana, ou seja, a responsabilidade por sermos o que somos: seres humanos.” Continuar lendo “A realidade à luz da filosofia”

Como a leitura frutifica

Roberta: leitora, contadora de histórias e livreira, na sua Mandarina (Arquivo Pessoal)

Roberta nunca se esqueceu das visitas que fazia à casa da avó quando era criança. Ela nem sabia ler, mas já gostava de se acomodar junto à estante de livros. Lembra-se do esforço que fazia para segurar aqueles volumes de capa dura do Sítio do Pica Pau Amarelo, de Monteiro Lobato. Cada página que virava era um tesouro que ela desenterrava. O cheiro abafado, aqueles que só os livros antigos sabem exalar, entorpecia a imaginação da menina, que degustava o formato das letras e se divertia com as ilustrações. Ali, meio sem querer, como uma brincadeira, Roberta abriu o primeiro de muitos portais mágicos de histórias.  Continuar lendo “Como a leitura frutifica”

O Sal da Terra

Aline, em um raro clique na sua “miniatura de fábrica” (Arquivo Pessoal)

Como quase todo mundo, Aline sente dificuldade de se definir. Quando reflete sobre a sua jornada, ela só enxerga um processo lento, mas contínuo e muito sutil. Tudo lhe parece tão familiar, tão íntimo e intrínseco, que nem repara na beleza da sua narrativa. “Venho de uma família de imigrantes, de pessoas muito simples, mas com uma atitude muito positiva e otimista perante a vida, dispostas a estarem juntas, trabalharem e serem pessoas melhores. Minhas avós (tanto materna quanto paterna) eram apaixonadas por plantas e sempre tinham alguma pomada para picada de insetos (se bem que o perito mesmo era o meu avô Humberto) ou chás para isso e para aquilo. A minha mãe estava sempre experimentando flores do sítio para preparar perfume. Seu aroma favorito era da flor de coqueiro. Hoje vejo que várias pequenas coisas foram acontecendo ao longo da minha vida e que todas, mesmo as mais simples, me levaram para o caminho que trilho hoje.” Continuar lendo “O Sal da Terra”

O Copo da Felicidade

Fran: criatividade, dedicação e uma boa dose de amor para manter o copo sempre cheio (Arquivo Pessoal)

Para alguns, o Copo da Felicidade leva creme de leite ninho, morango, mousse de chocolate e brownie; para outros, creme de Nutella, doce de leite e pão de mel. A Fran tem essas receitas todas – e outras também. Continuar lendo “O Copo da Felicidade”

Por que resistir

edu
Edu e Pedro (Arquivo Pessoal)

Edu jura que não é otimista, embora esteja sempre com um sorriso largo. Esse advogado e músico amador descreve-se menor do que é: como uma pessoa de origem e hábitos simples. Nem menciona que possui coragem de sobra para compartilhar suas vulnerabilidades como se dedilhasse uma canção qualquer em seu violão. Uma das histórias mais marcantes de sua vida começou em uma escola de cabeleireiros na zona norte de São Paulo, em 2002. Ele era o administrador do estabelecimento e ela, a aluna, oito anos mais jovem, em busca de recolocação profissional e independência financeira. “Ambos vínhamos de rompimentos bastante difíceis das relações anteriores”. Continuar lendo “Por que resistir”

O tal do “brilho nos olhos”

Cada vez que ouvia essa expressão pelos corredores do mundo corporativo, Camila escondia dentro de si a frustração por nunca ter experimentado essa sensação. Não entenda mal, ela gostava do que fazia, mas nunca se sentiu realmente realizada. Isso começou a mudar em 2016, quando resolveu reconfigurar sua carreira para seguir uma velha paixão. Continuar lendo “O tal do “brilho nos olhos””

Missão de Vida: Acolher

A criadora da Madah Lingerie: com seu sorriso contagiante e olhar curioso, está sempre pronta para ajudar

Madah tinha apenas 12 anos quando recebeu em seus braços um bebezinho. Coube à caçula de quatro irmãos, que nunca tinha tido uma boneca na vida, cuidar do recém-nascido de uma amiga da família em Fernandópolis (SP). Ali começou a história de uma mulher que escolheu fazer do acolhimento sua missão de vida. Continuar lendo “Missão de Vida: Acolher”

Embaraçando os fios de lã para desembaraçar a vida

(Fonte: Arquivo Pessoal)

Daniel era ainda menino quando conheceu a feltragem, uma técnica não muito conhecida, mas muito antiga. Aprendeu na escola onde estudou em Botucatu. Lá o artesanato feito de lã de ovelha estava por toda parte – da decoração aos brinquedos. Sem que ele nem desconfiasse, essa memória afetiva virou, anos depois, ofício. Continuar lendo “Embaraçando os fios de lã para desembaraçar a vida”

A Verdadeira História das Mulheres

Foto BIA DEL PICCHIA
Beatriz Del Picchia (Arquivo Pessoal)

“Mulher não se ajuda. Mulher compete”. Essa crença coletiva, que atravessa gerações, ofusca uma história bem mais forte e verdadeira: as mulheres se apoiam e constroem juntas.

Desde os tempos mais remotos, círculos femininos são formados para compartilhar, mais do que histórias, propósitos em comum. Na Grécia Antiga, por exemplo, elas se reuniam anualmente para fazer um ritual de fertilização da Terra. A arquiteta pós-graduada em Psicologia Analítica Beatriz Del Picchia estudou essas irmandades, que, ao longo da história, ganharam novas composições, tornando-se um espaço de aceitação, acolhimento, experimentação e cura individual e coletiva. “Há relatos, por exemplo, de que as mulheres nos haréns se ajudavam mais do que disputavam qual delas o sultão escolheria – e olha que isso era muito importante em um harém!” Continuar lendo “A Verdadeira História das Mulheres”

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: