Busca

Doce Viagem

O melhor da vida na nuvem

Categoria

Check-in

A verdadeira história do condor-dos-andes

Pablo e Matilde na foto que ilustra a capa do livro de memórias da cantora e terceira esposa do poeta chileno

Não é possível passar pelo Chile e não (re)conhecer Pablo Neruda. O poeta do amor foi o verdadeiro condor-dos-andes, assim como sua última esposa, Matilde Urrutia, também foi a perfeita expressão desta ave imponente, cujas características são motivo de orgulho nacional. Continuar lendo “A verdadeira história do condor-dos-andes”

Monte de São Miguel: sangue, suor e entrega

IMG_4057

Chegar ao topo do Mont de Saint-Michel, ou Monte de São Miguel, é um perrengue. O local está a 350 km de Paris, na divisa da Normandia com a Bretanha. E chegar no topo significa muita escada – daquelas que deixam as pernas torneadas e, a cada distração, uma lasca do corpo no muro de pedra. Uma parte do meu dedinho da mão esquerda eu deixei lá. Fui olhar o cemitério, veja só que ironia, tropecei e… desequilibrei! O coração acelerou, mas foi só um sustinho e um raspão na mão. Um pouquinho de sangue, mas nada que outro tantinho de saliva não resolva. O visual cura. O Arcanjo lá do alto mata o dragão e cura tudo.   Continuar lendo “Monte de São Miguel: sangue, suor e entrega”

Memórias de outra vida?

Ou só de uma menina, que sentava no fundo da sala, enquanto ouvia o professor de cabelos tão brancos quanto a neve falar sobre planícies, pampas, rochas, picos, formações vulcânicas e montanhas? Continuar lendo “Memórias de outra vida?”

A nova velha órbita

img_3714
‘A Testa di Madonna’ faz parte da coleção da Galleria Estense, de Módena, e está em exposição no Centro Cultural Fiesp. A autoria da obra, que traz a cabeça da Virgem inclinada para algo que não podemos ver, só foi reconhecida após a última restauração, em 2010.

Os primeiros pingos de chuva começavam a cair quando adentrei no corredor escuro em busca de uma história de fim trágico. Afinal, o protagonista morreu jovem, aos 37 anos, vítima de uma febre tão abrupta quanto vigorosa.  Continuar lendo “A nova velha órbita”

Quando a saudade é eterna

É na Rua Paulo Pedro Heidenreich que a nobre senhora fincou raízes. Desde então, divide sua atenção entre a civilização e a natureza pulsante do sul da ilha onde vive. Seus dias são preenchidos pelo brado das gaivotas, pelo ronco dos motores dos automóveis e pelos sussurros dos pescadores. Com os fragmentos de histórias trazidos pelo vento indócil, ela se deleita e revive as memórias e a saudade eterna de quem lhe deu a vida. Continuar lendo “Quando a saudade é eterna”

A beleza de ser quem se é

Há quem diga que lhe falta vaidade, pois uma maquiagem aqui, um retoque ali, lhe rejuvenesceria. Há quem a julgue desinteressante só porque não se rende a títulos e modismos.  Tem, ainda, quem questione sua ambição, ou a falta de, já que não se dá ao trabalho de abarrotar a agenda de compromissos e viver na correria. Ela é assim: não dita regras, não ostenta, não quer impressionar nem convencer ninguém de nada. Não cria inimizades, tampouco desafetos; não se ofende com comparações nem cria caso por isso. Ela é o que é e ponto.  Continuar lendo “A beleza de ser quem se é”

[Check-in] O Museu da Esperança

IMG_1379

É assim que o Museu da Imigração do Estado de S.Paulo deveria ser chamar. O motivo é óbvio: a Hospedaria de Imigrantes do Brás, onde funciona hoje a instituição, abrigou mais de 2,5 milhões de pessoas entre 1887 e 1978. Oriundos de 70 nacionalidades e etnias, eles carregavam, juntos a seus pertences, a esperança de um futuro melhor.  Leia Mais

[Check-in] Shakespeare and Company

SYLVIABEACH
Fonte: Shakespeare and Company

Eu queria que você conhecesse a Sylvia Beach. Filha de um reverendo da igreja presbiteriana, ela se estabeleceu em Paris no início do século XX. Descobriu ali várias paixões, que a levou ao segredo mais bem guardado da humanidade.
Leia Mais

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: